Olá Bibliófilos!

Hoje quero compartilhar com vocês algumas citações de um livro incrível que acabei de ler: Sobre a escrita de Stephen King (depois desse livro eu fiquei mais fã ainda!). Eu gosto bastante do gênero que ele escreve, que é um  suspense mesclado com toques de fantasia e terror, mas sou ainda mais fã do seu estilo de escrita.

Independente de gostar ou não do tipo de livro que ele escreve temos de admitir que o cara é um dos escritores mais produtivos e bem sucedidos da atualidade. E é justamente sobre a arte da escrita que King se propõe a escrever nesse livro.

O autor nos conta, num tom de conversa bem informal, como é a experiência da escrita e como o processo de criar uma história e colocá-la no papel funciona para ele. Stephen King compartilha conosco suas experiências pessoais e narra alguns acontecimentos de sua vida relacionados a rotina de escritor.

Mas o mais incrível desse livro são algumas técnicas e conselhos que ele dá a quem quer aprimorar suas habilidades na escrita. Se você, assim como eu, apenas gosta de escrever ou até mesmo para aqueles que pretendem fazer da escrita sua profissão vale a pena conferir algumas citações de Sobre a Escrita que são verdadeiros conselhos, afinal não custa nada ouvir umas dicas de um mestre da escrita como Stephen King!

 

“Não existe um Depósito de Ideias, uma Central de Histórias nem uma Ilha de Best-Sellers Enterrados; as ideias para boas histórias parecem vir, quase literalmente, de lugar nenhum, navegando até você direto do vazio do céu: duas ideias que, até então, não tinham qualquer relação, se juntam e viram algo novo sob o sol. Seu trabalho não é encontrar essas ideias, mas reconhecê-las quando aparecem.” (p. 35)

 

“Quando você escreve, está contando uma história para si mesmo. Quando reescreve, o mais importante é cortar tudo o que não faz parte da história.” (p. 53)

 

“Na ficção, o parágrafo é menos estruturado — é a batida, não a melodia. Quanto mais ficção você lê e escreve, mais verá seus parágrafos se formando por conta própria. E é isso que você quer. Ao escrever um texto, é melhor não pensar demais sobre o início e o fim dos parágrafos; o truque é deixar a natureza seguir seu curso. Se depois você não gostar, é só corrigir. É isso que significa reescrever.” (p. 116)

 

 

“O objetivo da ficção não é a correção gramatical, mas fazer o leitor se sentir à vontade e, depois, contar uma história… Fazer com que ele esqueça, sempre que possível, que está lendo uma história. O parágrafo de uma única frase lembra mais a fala que a escrita, e isso é bom. Escrever é seduzir.” (p. 118)

 

“Se você quer ser escritor, existem duas coisas a fazer, acima de todas as outras: ler muito e escrever muito. Que eu saiba, não há como fugir dessas duas coisas, não há atalho.” (p.126)

 

“Posso ser direto? Se você não tem tempo de ler, não tem tempo (nem ferramentas) para escrever. Simples assim.” (p. 128)

 

 

“A leitura é o centro criativo da vida de um escritor. Eu levo um livro comigo aonde quer que vá, e não faltam oportunidades para mergulhar na leitura” (p. 128)

 

“De meu ponto de vista, histórias e romances se dividem em três partes: narração, que leva a história do ponto A para o ponto B e, por fim, até o ponto Z; descrição, que cria uma realidade sensorial para o leitor; e diálogo, que dá vida aos personagens através do discurso. (p.141)

 

“Histórias são relíquias, parte de um mundo pré-existente ainda não descoberto. O trabalho do escritor é usar as ferramentas que tem na caixa para desenterrar o máximo de histórias que conseguir, tão intactas quanto possível. Às vezes o fóssil encontrado é pequeno; uma concha. Às vezes é enorme, como um Tyrannosaurus Rex, com aquelas costelas enormes e aqueles dentes sorridentes. Seja o que for, uma história curta ou um romance colossal de mil páginas, as técnicas de escavação continuam sendo basicamente as mesmas.” (p. 141)

 

 

“A descrição pobre deixa o leitor confuso e míope. A descrição exagerada o enterra em detalhes e imagens. O truque é encontrar um bom meio-termo. Também é importante saber o que descrever e o que deixar de lado enquanto você se concentra no trabalho principal, que é contar uma história.” (p. 150)

 

“O uso da metáfora e de outras figuras de linguagem é uma das grandes delícias da ficção — na escrita e na leitura, também. Quando acerta o alvo, uma metáfora nos agrada tanto quanto encontrar um velho amigo em meio a uma multidão de desconhecidos. (p. 153)

 

“Uma das principais regras da boa ficção é nunca dizer algo que você pode, em vez disso, nos mostrar.” (p. 155)

 

“A escrita não é para fazer dinheiro, ficar famoso, transar ou fazer amigos. No fim das contas, a escrita é para enriquecer a vida daqueles que leem seu trabalho, e também para enriquecer sua vida. A escrita serve para despertar, melhorar e superar. Para ficar feliz, ok?” (p. 229)

 

Ok mestre!

Até a próxima bibliófilos, e continuem lendo com a gente!

Quem quiser conhecer alguns dos nossos contos autorais, dá uma passadinha aqui.

 

 

Título: Sobre a Escrita
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Ano: 2015
Páginas: 256
Gênero: Biografia