Olá Bibliófilos!

O post de hoje traz um quê de nostalgia. É, a série The Vampire Diaries chegou ao fim após 8 temporadas. Durante anos acompanhamos a saga dos irmãos vampiros Damon e Stefan Salvatore (suspiros…) e conhecemos Mistic Falls e seus moradores nada convencionais.

Além dos vampiros, convivemos com bruxas, lobisomens, duplicatas, caçadores, sereias e até o diabo em pessoa ! Mas a saga chegou ao fim e agora só nos resta relembrar. Eu, como fã da série, colecionei algumas frases ditas pelos personagens ao longo dessas 8 temporadas e resolvi compartilhar com vocês, então prepare o coração e vamos relembrar!

Aha, sem spoilers, fiquem tranquilos!

Continue lendo

[TEXTO] MÃES… (Gislaine Melo)

Mães não são super heroínas, não tem grandes poderes, não são anjos descidos do céu, nem seres misticos capazes de mudar o mundo com pó mágico.

Assim, seria fácil ser mãe, e na real não é.

Mães são mulheres com qualidades e defeitos, com sonhos e vontades.

Que também erram e não tem todas as respostas do mundo.

Sentem medo, raiva, insegurança e tristeza.

Ser mãe é também se cansar, desistir ou postergar alguns planos, ficar em segundo plano e muitas vezes ser incompreendida.

Ser mãe é uma escolha e não um dom.

Tem mães que escolheram ser mães dos filhos daquelas que não quiseram ser mães.

Outras escolheram enfrentar qualquer situação mesmo diante da adversidade.

Ser mãe não é simplesmente colocar uma criança no mundo, é se doar, sem nunca esperar nada em troca.

É se sentir feliz com coisas que parecem pequenas, um sorriso, um abraço, atenção.

É sentir orgulho e realização com as conquistas e alegrias do filho, é ser capaz de dar a sua vida literalmente se for necessário.

É tirar forças da onde não tem, é sentir dor e mesmo assim sorrir, é ter a certeza diante de tudo que mais ganhou do que perdeu.

Porque ser mãe é simplesmente amar além do que é possível imaginar.

FELIZ DIA DAS MÃES!!!

[CONTO] Xeque-mate (Gislaine Melo)

Sentia as habituais borboletas batendo asas em seu estômago, ao mesmo tempo que o frio da adrenalina percorria seu corpo como uma serpente inquieta. Fecha os olhos, aspira e solta o ar lentamente. Um rito que não dispensa antes de iniciar o trabalho. Adora a sensação!

Ela desce da limusine e segue para a entrada do suntuoso Castelo de Avalon, por onde entra sem complicações com um convite falsificado. A festa que reunirá os milionários da região paulista, é de encher os olhos e esbanja luxo nos pequenos detalhes.

Se passando por uma herdeira da linhagem Lambertini, não poupa simpatia e elegância ao interagir com a nata paulistana, que se rende aos encantos da exuberante mulher de pele bronzeada, mexendo com a imaginação masculina em seu provocante longo azul.

Mas ela estava ali por um motivo, e faria qualquer coisa para conseguir. Não brinca em serviço. Foi assim que se tornou uma ladra de sucesso, sem qualquer suspeita.

Roubaria parte da fortuna do atraente bilionário Carlos D’Ávila, mas para isso precisava do código de acesso que estava gravado no globo ocular do dono da maior companhia aérea internacional.  Suas lentes de contato capturariam as informações, mediante a uma curta distância capaz de sincronizar os olhares por cinco segundos.

Continue lendo

[RESENHA] Sonho Febril (George R. R. Martin)

“York levantou a cabeça, e os dois olhares se cruzaram. Até cumprir o resto de seus dias, Abner Marsh relembraria aquele momento, aquela primeira vez em que olhou dentro dos olhos de Joshua York.” (p.8)

 

O mito do vampiro existe em muitas culturas, das mais variadas civilizações. Lendas sobre criaturas imortais, que vagueiam na escuridão da noite à procura de vítimas para aplacar sua sede de sangue estão presentes no imaginário popular e reflete-se também na literatura.

Quem nunca ouviu falar do famoso Conde Drácula, retratado por Bram Stoker, do sedutor Lestat, criado por Anne Rice chegando até aos representantes mais recentes como Edward Cullen, da saga Crepúsculo ou Damon e Stefan, os charmosos irmãos Salvatore da série Diários de um Vampiro?

Pois esqueça tudo o que você já viu, leu ou ouviu falar sobre vampiros. Ao escrever Sonho Febril, o autor George R. R. Martin consegue uma proeza e tanto: desconstruir o mito do vampiro para criar algo diferente de tudo o que você já viu. Prontos para mergulhar nesse universo tão singular criado por Martin? Continue lendo

[CONTO] Receita de Família (Michele Lebre)

 Se tinha uma coisa da qual Zé se orgulhava era de seus pastéis, com eles ganhava a vida e conseguia manter a família. A rotina como feirante era cansativa, mas Zé e sua esposa Mila nunca foram de fazer corpo mole e madrugavam em uma tradicional feira na metrópole paulista. Seus pastéis eram famosos e vinha gente de todos os cantos só para prová-los. Zé prezava pela qualidade, fritura sequinha e um recheio generoso.

Foi em uma manhã de outono que as coisas começaram a mudar para Zé. Já tinha ouvido rumores de que haveria uma nova banca de pastel na feira, mas não deu muita importância, afinal sua fama já estava consolidada e duvidava que seus clientes trocassem seus pastéis pelos de um desconhecido.

Passadas algumas semanas, Zé notou seu número de clientes diminuir. Foi então que sua esposa chegou com a notícia de que a nova banca de pastel estava lotada. Zé se recusava a acreditar, então decidiu ir ver com seus próprios olhos. Esgueirou-se até a banca de pastel concorrente e ficou chocado com o que viu. Ela não só estava lotada como reconheceu vários de seus clientes entre os que aguardavam na fila. Continue lendo

Leia com a gente © 2017 - Todos os direitos reservados | Desenvolvimento por Juliana Fonseca Webdesign & Ilustrações por: Gustavo Vicentini