EXPOSIÇÃO LIVROS DE ARTISTA

“… entende-se que a mostra de livros de artista transforma-se numa pequena biblioteca, na qual cada artista procura expressar por imagens, por textos, ou ambos, a linguagem visual através da matéria das texturas, cores e linhas, escrita ou imagens” (Luise Weiss)

 

Se tem uma coisa boa de trabalhar em uma biblioteca, é a possibilidade de participar de ótimos eventos.

 

Na última quarta-feira (14/11) tivemos o prazer de prestigiar o lançamento da “Coleção Livros de Artista: e obras de referência” expostas no térreo da Biblioteca Central da Unicamp.

 

A exposição doada à Diretoria de Coleções Especiais e Obras Raras em parceria com o Instituto de Artes (IA) da universidade, disponibiliza as obras com o intuito de que estudantes, pesquisadores, profissionais de artes visuais, possam pesquisar, produzir conhecimento e difundi-los.

 

Continue lendo

Olá bibliófilos!

Hoje quero falar sobre um assunto um pouco diferente, mas que não deixa de ter relação com o universo de blogs literários, principalmente aqueles que tem também redes sociais como Instagram e Facebook. Precisamos falar sobre direitos autorais de fotos.

Quem tem um blog, principalmente literário, costuma produzir suas próprias fotos para ilustrar posts, postar no Instagram ou Facebook. São fotos super caprichadas onde soltamos a criatividade e o resultado são verdadeiras obras de arte! Quem produz fotos autorais sabe o trabalho que dá produzi-las: demanda tempo, trabalho, criatividade e objetos para compor os cenários. Muitas vezes requer até um certo investimento financeiro na compra de objetos, elementos cenográficos e equipamentos de iluminação.

Agora uma pausa para reflexão: o que você sentiria se uma das suas fotos, produzidas com todo o carinho para o público do seu blog e redes sociais, aparecesse postada nas redes sociais de outro blog como se fosse obra de outra pessoa? Sem que te dessem ao menos os créditos? Pois é, é triste, mas acontece e muito na blogosfera.Continue lendo

Trabalhar em uma universidade do tamanho da Unicamp tem lá suas vantagens, como por exemplo passear nos corredores de uma livraria em pleno horário de almoço.

Eu e a Michele temos essa sorte, e costumamos fazer isso com frequência, já que uma das lojas da Editora da Unicamp fica localizada simplesmente no térreo do prédio em que trabalhamos. Bom demais né!!!

Na semana passada, em uma das nossas visitinhas, nos deparamos com livros que chamaram atenção pela familiaridade das capas. Algo naqueles livros lembravam os dias em que eu viamos os títulos da querida Cosac Naify expostas nas livrarias.

Continue lendo

“Todos que por aqui passem protejam esta laje, pois ela guarda um documento que revela a cultura de uma geração e um marco na história de um povo que soube construir o seu próprio futuro”.

(Texto escrito no chão, na entrada do Museu Nacional, no Rio de Janeiro)

 

 

Um incêndio de grandes proporções atingiu o Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, zona norte do Rio de Janeiro, na noite de domingo (02/09/18), destruindo sua coleção de mais de 20 milhões de itens que iam desde descobertas arqueológicas, objetos históricos a coleções de botânica. Em algumas horas 200 anos de história, da nossa história, queimou, virou cinzas… Triste do país que não conhece seu passado. Um pouquinho de nós, da nossa identidade como nação, queimou junto com o Museu Nacional.

 

Eu tinha planos de conhecer o Museu Nacional um dia, sim, estava na lista de coisas que eu queria fazer…. Afinal, ele estaria sempre lá, um dia eu iria… Não deu tempo… Agora só nos resta conhecê-lo através de fotos e vídeos, mas sabemos que não é a mesma coisa.

 

 

SAIBA QUAIS ERAM OS ITENS DO ACERVO DO MUSEU NACIONAL

SAIBA MAIS SOBRE O INCÊNDIO

 

“A cultura de um povo é o seu maior patrimônio.Preservá-la é resgatar a história, perpetuar valores,é permitir que as novas gerações não vivam sob as trevas do anonimato.”

(Nildo Lage)

 

Que a história perdoe essa nação que não soube preservá-la …

 

Fonte: Portal Agora

Olá bibliófilos!

Imaginem o seguinte cenário: o ano é 2090 e os blogs literários continuam existindo (só que em um formato mais avançado, é claro), um habitante deste futuro navega pela internet (ou teria um outro nome agora?) a procura de dicas de leitura de ficção científica. O Google (que agora se projeta como um holograma e interage com você) apresenta uma lista de livros publicados no início do século XXI, os quais define como clássicos da ficção científica no passado.

Corta para o presente…

Sempre que falamos em literatura de ficção científica nos vem a mente grandes clássicos como Fahrenheit 451, Admirável Mundo Novo, Trilogia Fundação, Neuromancer, Uma Odisseia no Espaço, são apenas alguns exemplos de obras literárias que o gênero já ofereceu ao mundo.

Autores como Ray Bradbury, Isaac Asimov, George OrwelArthur C. Clarke, Aldous Huxley, só para citar alguns cujas obras são leituras essenciais para quem curte ou quer conhecer o gênero, tem o seu lugar de honra assegurado na literatura sci fi. No entanto, a ficção científica segue firme e forte, e uma nova geração de bons livros vêm sendo produzidos mundo afora, livros esses que poderão também ser considerados clássicos e referências da literatura de ficção científica no futuro.

Pensando nisso, pesquisei sobre o “estado da arte” da literatura científica contemporânea e me surpreendi com muita coisa boa! Trago agora uma lista com 10 livros contemporâneos que são ótimos candidatos a merecer um lugar naquela lista que o Google holográfico recomendou ao nosso leitor do futuro. Vamos conhecê-los?

Continue lendo

Leia com a gente © 2018 - Todos os direitos reservados | Desenvolvimento por Juliana Fonseca Webdesign & Ilustrações por: Gustavo Vicentini