Olá bibliófilos!

Hoje quero falar sobre um assunto um pouco diferente, mas que não deixa de ter relação com o universo de blogs literários, principalmente aqueles que tem também redes sociais como Instagram e Facebook. Precisamos falar sobre direitos autorais de fotos.

Quem tem um blog, principalmente literário, costuma produzir suas próprias fotos para ilustrar posts, postar no Instagram ou Facebook. São fotos super caprichadas onde soltamos a criatividade e o resultado são verdadeiras obras de arte! Quem produz fotos autorais sabe o trabalho que dá produzi-las: demanda tempo, trabalho, criatividade e objetos para compor os cenários. Muitas vezes requer até um certo investimento financeiro na compra de objetos, elementos cenográficos e equipamentos de iluminação.

Agora uma pausa para reflexão: o que você sentiria se uma das suas fotos, produzidas com todo o carinho para o público do seu blog e redes sociais, aparecesse postada nas redes sociais de outro blog como se fosse obra de outra pessoa? Sem que te dessem ao menos os créditos? Pois é, é triste, mas acontece e muito na blogosfera.

Nós aqui do Leia com a gente temos o maior capricho na produção das fotos que ilustram nossos posts e que vão para nosso perfil no Instagram e Facebook, portanto consideramos que são parte do conteúdo que produzimos para vocês. Nós nunca utilizamos nenhuma foto de terceiros e quando pegamos alguma imagem na internet checamos se possui fonte ou direitos autorais. Além disso eu e a Gislaine somos bibliotecárias e sabemos bem que os direitos autorais precisam ser respeitados. A fotografia é uma obra intelectual e como tal deve ser respeitada de acordo com Lei Federal nº 9.610 que regula os direitos autorais. O Art. 7º, inciso VII diz que:

 

VII – as obras fotográficas e as produzidas por qualquer processo análogo ao da fotografia são considerados propriedade intelectual

 

Imagem produzida através do editor online www.iloveimg.com/pt

 

 

Mas, por que estou dizendo tudo isso? É que recentemente tivemos um problema sério com uma foto nossa, que foi postada em uma página literária no Facebook (com muitos seguidores) sem nenhum tipo de crédito ao Leia com a gente. A foto não foi compartilhada das nossas redes sociais – o que é super bacana porque ajuda a divulgar a sua página também – ela foi salva e repostada sem indicar a fonte. Essa foto foi compartilhada por milhares de pessoas sem nenhuma menção ao nosso blog, o que nos deixou super chateadas. Infelizmente foi necessário muita insistência da nossa parte para que a situação fosse resolvida e a foto acabou sendo apagada, pois a pessoa se recusava a nos dar os créditos. Não vou postar aqui a foto que causou a confusão porque esse assunto já está encerrado, mas desse episódio ficou uma lição: sempre usar marca d’água nas nossas fotos autorais.

Para quem não sabe, marca d’água é uma espécie de assinatura digital que você insere nas suas fotos a fim de deixar clara a autoria. A marca d’água pode ser somente um texto com o seu nome ou do seu blog, ou até mesmo uma imagem ou logotipo. O importante é deixar bem clara a autoria para que a pessoa que porventura quiser usá-la saiba de quem é e pelo menos te dê os créditos.

Depois desse episódio tão desagradável resolvemos adotar o uso da marca d’água em todas as nossas fotos, tanto aqui no blog como nas redes sociais. Para quem produz suas próprias fotos fica a dica: pense seriamente em começar a fazer uso de marca d’água.

Existem vários aplicativos e programas de edição de fotos gratuitos, nós estamos utilizando o eZy Watermark Photo Lite que é bem intuitivo e fácil de usar.

Para quem quiser saber um pouco mais a lei de direitos autorais acesse aqui.

Até a próxima!

 

Imagem produzida através do editor online www.iloveimg.com/pt