Olá bibliófilos!

O ano está acabando e é chegada a hora de fazer um balanço das leituras de 2017! Gosto de fazer uma retrospectiva do que li, quais os gêneros que predominaram na minha lista, o que gostei mais, enfim um balanço literário do ano!

Confesso que este ano não li tanto quanto gostaria, minha conta encerrou em 21 livros lidos, mas o saldo de 2017 foi bem equilibrado, li de tudo um pouquinho: drama, suspense, terror, distopia, ficção científica, romances clássicos e HQs. Outra coisa que percebi e da qual me orgulho é que este ano li muitas obras de autores nacionais, e gostei demais do resultado!

Para ficar mais divertido, criamos o “Troféu Leia com a gente: melhores do Ano 2017”, e escolhemos, dentre as leituras feitas este ano, os vencedores em diferentes categorias. Os envelopes já foram abertos e o resultado está aí!

Quer saber quais foram os escolhidos? Então continue lendo!

 MELHOR LIVRO

 

Em 2017 eu li muitos livros bons, mas teve um que sem sombra de dúvidas merece o título de melhor livro lido no ano: O Conto da Aia, de Margaret Atwood. Esse livro me arrebatou por muitos motivos, mas sobretudo por nos apresentar uma história distópica tão verossímil e próxima da realidade que chega a assustar. Em vários momentos da leitura eu me peguei com medo que aquele futuro tão tenebroso pudesse, num piscar de olhos, acontecer amanhã. São várias referências que nos permite traçar paralelos com a nossa realidade atual. Incrível e assustador. Com certeza a leitura do ano.

Sinopse: A história se passa num futuro distópico e tem como cenário uma república onde não existem mais jornais, revistas, livros nem filmes – tudo fora queimado. As universidades foram extintas. Também já não há advogados, porque ninguém tem direito a defesa. Os cidadãos considerados criminosos são fuzilados e pendurados mortos no muro, em praça pública, para servir de exemplo enquanto seus corpos apodrecem à vista de todos. Nesse Estado teocrático e totalitário, as mulheres são as vítimas preferenciais, anuladas por uma opressão sem precedentes. O nome dessa república é Gilead, mas já foi Estados Unidos da América. As mulheres de Gilead não têm direitos. Elas são divididas em categorias, cada qual com uma função muito específica no Estado – há as esposas, as Marthas, as Salvadoras, e outras castas. À pobre Offred coube a categoria de aia, o que significa pertencer ao governo e existir unicamente para procriar. Offred tem 33 anos. Antes, quando seu país ainda se chamava Estados Unidos, ela era casada e tinha uma filha. Mas o novo regime declarou adúlteros todos os segundos casamentos, assim como as uniões realizadas fora da religião oficial do Estado. Era o caso de Offred. Por isso, sua filha lhe foi tomada e doada para adoção, e ela foi tornada aia, sem nunca mais ter notícias de sua família. É uma realidade terrível, mas o ser humano é capaz de se adaptar a tudo.

 

 LIVRO MAIS IMPACTANTE

 

Para esta categoria, escolhi um livro cuja história demorei para digerir após o término da leitura: A Lista Negra, de Jennifer Brown. Uma trama densa, que nos leva a mergulhar – literalmente – no universo de uma pessoa que sofre bullying, o que ela sente, como isso a afeta e quais as consequências em seu comportamento. Um livro com temática forte, mas que deveria ser lido por todos, especialmente pelos adolescentes, que infelizmente estão envolvidos com frequência ora como vítimas, ora como algozes em casos de bullying. Um livro excelente para ser discutido nas escolas e nas famílias. Tem resenha dele aqui no blog.

Sinopse: Essa é a história de Val e Nick. Eles são dois adolescentes que se conhecem no primeiro ano do ensino médio e se identificam de imediato. Val convive com pais ausentes, que brigam o tempo todo e só criticam suas roupas e atitudes. Nick tem uma mãe divorciada que vive em bares atrás de novos namorados. Os dois são alvo de bullying por parte de seus colegas do Colégio Garvin. Nick apanha dos atletas e Val sofre com os apelidos dados pelas meninas bonitas e populares. Ambos compartilham suas angústias num caderno com o nome de todos e tudo que odeiam, criando um oásis, um local de fuga, um momento de desabafo, pelo menos para Val. Já Nick não encara a lista e os comentários como uma simples piada. Há alguns meses, ele abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista das pessoas e das coisas que ela e Nick odiavam. A lista que ele usou para escolher seus alvos.

 

 LIVRO COM O MELHOR FINAL

 

O conceito de melhor final para um livro é algo bem subjetivo, para alguns é um final feliz, para outros é aquele que dá margem a uma interpretação pessoal, e tem aqueles que curtem aquele final onde personagens morrem. Para mim, um bom final é aquele que me deixa de boca aberta e me faz exclamar: Como assim? E foi justamente isso que senti ao terminar de ler 172 horas na Lua, de Johan Harstad. A trama é uma ficção científica com uma premissa bem interessante: 3 adolescentes são sorteados para ir à Lua com uma nova missão da NASA. Muito mistério, conspirações e até uma pitada de terror permeiam a trama. É o tipo de livro que você não consegue imaginar o que vai acontecer na próxima página. E o final? Aha… só lendo..rs.

Sinopse: O ano é 2018. Quase cinco décadas desde que o homem pisou na Lua pela primeira vez. Três adolescentes comuns vencem um sorteio mundial promovido pela NASA. Eles vão passar uma semana na base lunar DARLAH 2 – um lugar que, até então, só era conhecido pelos altos funcionários do governo americano. Mia, Midore e Antoine se consideram os jovens mais sortudos do mundo. Mal sabem eles que a NASA tinha motivos para não ter enviado mais ninguém à Lua. Eventos inexplicáveis e experiências fora do comum começam a acontecer… Prepara-se para a contagem regressiva.

 

 LIVRO QUE MERECE CONTINUAÇÃO

 

Se teve um livro com uma trama que me envolveu e que deixou um gostinho de quero mais foi Ácido & Doce, de Raphael Miguel. Uma trama envolvente e atual, que mistura mistério e romance com pitadas eróticas. Tudo na medida certa. A conturbada história de Eveline e Alejandro termina no seu ápice e o autor ainda nos faz uma provocação na última página! Sim, quero a continuação dessa história, porque ainda tem dá muito pano para a manga! Confira a resenha aqui no blog.

Sinopse:  Apesar de desolado com a partida de sua amada amiga Lívia G. para tentar realizar o sonho de se tornar uma modelo internacional na França, Alejandro seguiu em frente e tornou-se um rapaz ambicioso, totalmente movido pela ganância, embora dono de uma personalidade dúbia que o deixa em xeque. Mas, o retorno de assuntos do passado promete fazer com que Alejandro tenha que adotar novas posturas de atitude e comportamento ao ponto de tornar-se irreconhecível aos olhos dos próprios pais em busca de aceitação e identidade própria. Eveline é uma jovem bonita, charmosa e atraente que guarda muitos segredos de um passado nebuloso e sombrio. Ainda que seus motivos sejam desconhecidos, a garota misteriosa parece estar determinada a terminar de destilar seu plano de vingança contra o homem que lhe fez sofrer. Eveline tem contas para acertar e ninguém poderá ficar em seu caminho.

 

 LIVRO QUE ME SURPREENDEU

 

Nesta categoria vou mencionar um livro que não estava na minha lista de desejados e que eu não tinha ouvido falar, mas que caiu nas minhas mãos quase sem querer e me surpreendeu positivamente! Treze, de FML Pepper foi a melhor surpresa literária de 2017! Ele me foi apresentado na Bienal do Livro do Rio deste ano, quando conheci a autora em um dos estandes. Achei a Pepper tão simpática e empolgada e o livro tinha uma capa tão linda, que não tive dúvidas e comprei na hora! Que sorte a minha! Levei um livro incrível para a casa e ainda com uma dedicatória especial! A trama é muito boa e eu não consegui parar de ler! Com certeza virei fã da autora!

Sinopse: Rebeca. Uma garota sem escrúpulos ou fé, criada para ser ladra. O esquema para o novo e maior golpe de sua vida é irretocável, perfeito… até encontrar Madame Nadeje, a enigmática cartomante do decadente parque de diversões. Ouvir seus segredos mais íntimos seguidos de profecias perturbadoras, entretanto, não impedem Rebeca de ir adiante. Seu mundo matemático e lógico desmorona ao enfrentar as previsões da vidente, e sua vida se transforma em um pesadelo. Karl, um orgulhoso e passional lutador de MMA, passa por uma grande decepção. Incapaz de aceitar derrotas, ele comete um erro estúpido e, de herói, se torna vítima em segundos. Um acidente deixa em seu cérebro um coágulo inoperável que pode se romper num piscar de olhos. Determinado a esconder a terrível condição de todos, ele resolve levar uma vida tranquila e passar longe de brigas. Um plano perfeito… até conhecer Rebeca.

 

 LIVRO QUE PROVOCOU MUITA REFLEXÃO

 

Um livro que me fez refletir muito por conta da sua mensagem foi A diaba e sua filha, de Marie Ndiayne. O livro é curtinho e trata-se na verdade de um conto. As ilustrações são maravilhosas e essenciais para a trama. A história da diaba que procura sua filha toca em um assunto delicado e presente em nossa sociedade: a intolerância pelo que é diferente. Ao final da leitura várias perguntas ficaram ecoando em minha mente: Porque somos assim? Porque afastamos tudo que nos é estranho e passamos a rotular o diferente como algo ruim, desagradável ou perigoso? São reflexões pertinentes,  que estão presentes em nosso dia-a-dia e me fez refletir muito. Veja a resenha completa aqui no blog.

Sinopse: A atmosfera noturna dá à história da autora franco-senegalesa Marie NDiaye um caráter sombrio e misterioso, mesclando metáforas dos contos de fada tradicionais e de elementos da literatura africana. No livro, uma diaba sai todas as noites da floresta à procura de sua filha que desapareceu misteriosamente, junto com a casa onde moravam. A ambiguidade da personagem – alegoria da noite –, de face graciosa, olhos doces, mas com cascos no lugar dos pés, suscita no leitor alguma hesitação e muitos questionamentos. Um livro enigmático que nos convida a refletir sobre como o afeto é capaz de humanizar até a aparentemente mais aterrorizante criatura e sobre a importância de se respeitar as diferenças, visíveis e invisíveis.

 LIVRO QUE LI MAIS RÁPIDO

 

Dois dias. Esse foi o tempo que levei para ler Karma Club, de Jessica Brody. O livro é viciante, engraçado e leve. Na trama as amigas Maddy, Angie e Jade criam o chamado “Clube do Carma” cujo objetivo é fazer o que na opinião delas o Carma não está fazendo: justiça. O livro é hilário, a autora tem uma escrita que flui fácil e um humor irônico que envolve o leitor. As situações narradas são extremamente engraçadas mas ao mesmo tempo fazem refletir sobre até que ponto temos o direito de interferir nos acontecimentos. Afinal, as amigas distorcem o conceito de Carma ao tentar promover uma punição as pessoas que as magoaram. Esse livro é para devorar rapidinho!

Sinopse: Madison Kasparova sempre achou que soubesse como o Carma funciona. Aquela força poderosa e cheia de mistérios que traz harmonia para o Universo. Você sabe – pratique boas ações e será recompensado, faça uma má ação e o Carma vai garantir que terá o que merece. É como se fosse um ato de equilíbrio cósmico. Mas quando Mason Brooks, namorado de Maddy por dois anos, foi pego no flagra beijando outra, e não aconteceu absolutamente nada para qualquer um dos dois – exceto se transformarem no mais novo casalzinho do Colégio Colonial – pareceu que o Carma havia oficialmente deixado Maddy desamparada. Foi assim que ela e suas melhores amigas, Angie e Jade, decidiram inaugurar o Clube do Carma – uma organização secreta, só para membros, cujo único objetivo era arrumar a bagunça que o Universo estava deixando para trás. Porém, algumas vezes, não é muito inteligente interferir nos desígnios do Universo, pois, quando você apronta com o Carma, o Carma apronta com você.

 LIVRO QUE ME FEZ CHORAR

Créditos da foto: Leia com a gente

 

Se tem uma escritora que sempre, sempre me faz chorar com suas histórias tocantes é a Lucinda Riley, e com A Garota Italiana não foi diferente. A conturbada história de amor entre Roberto e Rosanna é daquelas que arrebata e faz sofrer, além da história em si ainda temos como pano de fundo os bastidores da música clássica e das óperas, o glamour dos grandes teatros, a dedicação à arte, a disputa de egos e os dois lados da fama. Foram lágrimas e lágrimas…. mas a leitura vale cada uma delas. Veja a resenha aqui no blog.

Sinopse: Aos onze anos de idade, Rosanna Menici conhece o cantor Roberto Rossini, uma estrela em ascensão no mundo da ópera italiana – e o homem que mudaria sua vida para sempre. Incentivada – e apaixonada – por ele, Rosanna passa a se dedicar ao estudo do canto lírico, torna-se cantora profissional, e logo os dois se encontram nas salas de concerto mais famosas do mundo, dividindo não só o palco como também o mesmo destino.Com seu talento incomum para descrever ambientes e evocar sensações e sentimentos universais, Lucinda Riley nos leva a acompanhar a trajetória de Rosanna, desde os bairros pobres de Nápoles até os teatros mais glamourosos do planeta, trazendo à tona, com sua prosa inconfundível, as alegrias, tristezas, frustrações, decepções e redenções do amor.

 

 LIVRO QUE EU SEMPRE QUIS LER 

 

Pois é, são tantos livros para ler, que as vezes acabamos deixando para trás alguma obra que sempre tivemos vontade de ler, seja porque é um clássico, seja porque muita gente comenta sobre ele, enfim aquele livro que você quer muito ler, mas ainda não leu e nem sabe o porquê! Para mim esse livro era o clássico dos clássicos Orgulho e Preconceito, de Jane Austen. Sim, eu li e posso dizer: ele faz jus a fama que tem. Como pude viver até hoje sem ter lido esse livro? A mundialmente famosa história de amor entre Elizabeth Bennet e Mr.Darcy é incrível, assim como o estilo da escrita de Jane Austen. Se você ainda não leu, por favor leia.

Sinopse: Jane Austen inicia Orgulho e Preconceito com uma das mais célebres frases da literatura inglesa: “É uma verdade universalmente reconhecida que um homem solteiro e muito rico deve precisar de uma esposa”. O livro é o mais famoso da escritora e traz uma série de personagens inesquecíveis e um enredo memorável. Austen nos apresenta Elizabeth Bennet como heroina irresistível e seu pretendente aristocrático, o sr. Darcy. Nesse livro, aspectos diferentes são abordados: orgulho encontra preconceito, ascendência social confronta desprezo social, equívocos e julgamentos antecipados conduzem alguns personagens ao sofrimento e ao escândalo. Porém, muitos desses aspectos da trama conduzem os personagens ao auto-conhecimento e ao amor. O livro pode ser considerado a obra prima da escritora, que equilibra comédia com seriedade, observação meticulosa das atitudes humanas e sua ironia refinada.

E então queridos bibliófilos, gostaram dos nossos “Melhores do Ano”? Deixo a vocês o convite para indicar os seus melhores do ano também! No perfil oficial do blog no Instagram está rolando o desafio com a hastag #melhoresdoanoLCG2017 Passa lá, confira as regrinhas e participe! Também vale deixar as indicações nos comentários aqui embaixo.

Desejamos a todos vocês um ano novo abençoado, repleto de alegrias, harmonia, saúde, amores e claro, muitas leituras!

Continuem lendo com a gente em 2018!